Crack

Esta droga pode provocar sensações de prazer, euforia e excitação por mais tempo no organismo. Perseguindo esse prazer, a pessoa tende a utilizar a droga com maior frequência, e com o passar do tempo, o organismo vai ficando tolerante à droga, fazendo com que seja necessário o uso de quantidades maiores para se obter os mesmos efeitos. É um ciclo vicioso, pois é assim que as pessoas caem nessa cilada e não conseguem sair mais.

O viciado acredita que o prazer provocado pela droga compensa tudo isso e faz de tudo para tê-la. É por isso que a relação dessas pessoas com o crime é muito maior do que em relação às outras drogas, e o comportamento violento é muito típico. O crack traz muitos prejuízos para o corpo: os neurônios vão sendo destruídos, e a memória, a concentração e o autocontrole são nitidamente prejudicados. Cerca de 30% dos usuários perdem a vida em um prazo de cinco anos – ou pela droga em si ou em consequência de seu uso (suicídio, envolvimento em brigas, “prestação de contas” com traficantes, comportamento de risco em busca da droga – como prostituição, etc.).