Cocaína

Essa droga atua no Sistema Nervoso Central, e tende a perder sua eficácia ao longo do tempo de uso, fazendo com que o usuário busque incansavelmente, com doses mais frequentes, os mesmos efeitos que conseguia no inicio do uso. E são estas dosagens muito frequentes e excessivas que provocam alucinações táteis, visuais e auditivas, ansiedade, delírios, agressividade e paranoia. Este ciclo torna a pessoa cada vez mais dependente, fazendo de tudo para conseguir a droga, e ainda se afastando de familiares e amigos, tendo comportamentos condenáveis como participação de furtos ou assaltos para obter a droga.

Além do mais a cocaína pode deixar o usuário predisposto a infartos, bem como provocar dores musculares, náuseas, calafrios e perda de apetite. A Cocaína injetável, por exemplo, pode provocar a contaminação por doenças infecciosas, como hepatite e AIDS, e infecções locais. E no caso daqueles que inalam, gera o comprometimento do olfato, rompimento do septo nasal e complicações respiratórias.